Motoristas de onibus querem salário integral para retorno integral da frota

 imagem de reprodução

Motoristas e cobradores de ônibus estiveram reunidos com empresários na manhã desta terça-feira (12) para discutirem o retorno gradual dos ônibus às ruas e o pagamento de dívidas anteriores.

A reunião foi fechada, na sede do Setut (Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina), na avenida Maranhão, centro da cidade. 

O encontrou durou cerca de 1h30. Uma das principais reivindicações dos trabalhadores é a manutenção do salário integral e a assinatura da convenção coletiva da categoria.

Atualmente, os motoristas e cobradores na capital piauiense que estão na ativa têm recebido o salário através de diárias, o que para eles não é interessante. Os trabalhadores querem o salário integral para que o retorno dos ônibus aconteça em Teresina. A categoria defende o valor de R$ 2.209,00 para os motoristas e R$ 1.288,00 para os cobradores. Além disso, reivindicam também a volta do ticket alimentação, plano de saúde e a jornada de trabalho de 7h20.
 
Ao final da reunião, o advogado Cauê Silva Castro, representante do Sintetro fez um balanço não tão satisfatório da reunião desta terça (12). Segundo o advogado, o SETUT não apresentou nada concreto e que mudasse a situação dos motoristas e cobradores.
 
"Nós tentamos conversar, principalmente, com relação a nossa convenção coletiva. Estamos desde 2020 sem convenção coletiva. Infelizmente, não há qualquer retorno nesse sentido. Nós deixamos nossa proposta, nossa proposta é: a assinatura da convenção coletiva com base ano 2020/2021. Estamos abertos para negociar uma futura convenção coletiva 2022, com as alterações que se façam necessárias para melhorar o sistema, para melhorar todo o sistema, garantindo o direito dos trabalhadores e garantindo um bom transporte público", pontuou o advogado Cauê Silva Castro ao Cidade Verde.

 

 

Fonte:Cidade Verde

Mais de Teresina